Manutenção e Aquecimento Vocal

Tempo de leitura: 4 minutos

Qual a necessidade de se manter uma rotina de manutenção e de aquecimento vocal?

frogs-1212209_1920

 

Podemos comparar o cantor a um atleta que precisa cuidar diariamente do seu condicionamento físico.

Dessa forma é importante pensarmos exatamente como um atleta procurando ter disciplina e constância em nossa prática tendo alguns cuidados como:

1- Realizar o alongamento da musculatura extrínseca e intrínseca da laringe antes do uso intenso da voz;

2- Ter o cuidado com a execução do exercício. Faze-lo sempre com consciência estando sempre atento a qualquer tensão na região do pescoço;

3- Determinar uma rotina de estudo diária, que pode ser pequena, em torno de 10 a 15 minutos para se dedicar aos exercícios vocais e respiratórios.

Não tenha dúvidas que esta simples rotina certamente irá potencializar o seu estudo e seguramente melhorar seu domínio e desenvoltura vocal.

“Quer fazer alguma coisa bem, faça-a diariamente.”

Sabemos quão benéfico é a realização do aquecimento vocal antes do uso intenso da voz. No entanto teremos muito a ganhar se mantivermos uma rotina de exercícios diários de manutenção da voz além dos exercícios de aquecimento vocal.

Então vale ressaltar a diferença que se deve fazer entre os mecanismos de manutenção vocal e aquecimento vocal.

MANUTENÇÃO VOCAL

manutencao-vocal

Acredito muito na eficácia do uso de exercícios de manutenção vocal para o aprimoramento da voz.

A meu ver estes exercícios devem ser diários e podem ser realizados aleatoriamente, sem uma sequência ou tempo pré-estabelecidos.

Não há necessidade de se trabalhar notas em escalas ascendentes ou descentes, ou seja, do grave ao agudo.

Basta apenas manter emissões na região médio grave, e/ou região médio aguda da voz, produzidas sempre com pequena intensidade, buscando conforto vocal.

Os exercícios de manutenção vocal têm como objetivo:

  1. Acordar a musculatura vocal;
  2. Melhorar a performance do exercício propriamente dito (sobretudo de alunos no início do aprendizado técnico);
  3. Trabalhar alguns músculos isoladamente;
  4. Fixar ajustes motores necessários ao padrão de emissão desejado;
  5. Melhorar o equilíbrio funcional da produção da voz.

As principais diferenças entre os exercícios de manutenção e de aquecimento vocais são:

  • O tempo de execução dos exercícios;
  • A tessitura vocal utilizada no vocalize. (Obs.: Tessitura Vocal diz respeito a conjunto de notas que o cantor consegue emitir sem esforço).

AQUECIMENTO VOCAL

aquecimento-vocal

Aquecer a musculatura vocal antes do seu uso intenso é uma das boas regras para se manter a saúde e evitar a fadiga das pregas vocais. A fadiga vocal que pode gerar disfonia com conseqüente perda da qualidade da voz, além de levar a possíveis lesões.

Também não há dúvidas de que os exercícios vocais  além de favorecer o padrão estético vocal do profissional o ajudará a ter uma resposta mais rápida e mais precisa de toda a musculatura durante o canto.

“Quer cantar melhor? Crie o hábito de vocalizar diariamente.”

Os exercícios de aquecimento vocal têm os seguintes objetivos:

  1. Melhorar o fechamento da glote necessário para a produção da voz (Obs.: Glote é o espaço compreendido entre as pregas vocais, durante a respiração, tem forma triangular);
  2. Manter o controle expiratório durante a emissão;
  3. Maior flexibilidade das pregas vocais para alongá-las ou encurtá-las durante as variações de sons agudos ou graves respectivamente;
  4. Melhora da adução das pregas, com uma conseqüente melhora da projeção vocal (intensidade da voz);
  5. Aumento da precisão articulatória dos fonemas.

São, portanto, hábitos para uma conduta preventiva que poderá ajudar a desenvolver a propriocepção do cantor e consequentemente o aperfeiçoamento do seu instrumento vocal.

Se você acha que esse conteúdo pode ser interessante para alguém curta, compartilhe, recomende o Blog!

Referências Bibliográficas:

Pinho, SMR. Terapia vocal. In: Pinho SMR. Tópicos em Voz. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2001.

Behlau M; Pontes P. Avaliação e tratamento das disfonias. São Paulo: Lovise;1995.

Veja também:

http://vozteoriaepratica.com.br/exercicios-isometricos-isotonicos-e-isocineticos/

Comentários

Comentários