Dez dicas para desenvolver a percepção musical

Tempo de leitura: 5 minutos

passaro na boca

O grande aliado da boa afinação é o desenvolvimento da percepção musical que nada mais é do que a prática para a identificação da altura tonal, a relação entre intervalos numa melodia, a divisão rítmica, a intensidade do som, entre outros aspectos musicais.

Quanto mais treinado o ouvido estiver para reconhecer tais particularidades da canção maior será a habilidade de um instrumentista ou de um cantor.

Por isso considero essencial para quem deseja desenvolver o canto utilizar um instrumento harmônico no momento do estudo.

O piano (ou teclado), a meu ver, seria o mais indicado por possibilitar a visualização das escalas musicais e seus respectivos intervalos.

Se você tem problemas como afinação vocal aguce os seus ouvidos usando estratégias que desenvolvam a sua percepção musical.

DEZ DICAS PARA DESENVOLVER A PERCEPÇÃO MUSICAL

dicas

1- Aprenda a escutar uma canção

vinyl-761592_1920

Ouça muita música e de preferência músicas que tenham “qualidade musical” em termos harmônicos e melódicos. Procure sobretudo desenvolver sua escuta observando todos os detalhes da canção, a parte rítmica do texto, ou seja, como ele é expressado ritmicamente e o caminho melódico, as variações de agudos e graves da melodia. Aprender a ouvir pode ser de grande serventia não só para o crescimento musical, mas para muitos aspectos da vida!

2- Tire os vocais das músicas

Tente tirar a “segunda voz” (o coro ou backing) das suas músicas preferidas. “Quando comecei a cantar nos anos 80, passava horas ouvindo e tirando os vocais das músicas de grupos como “Roupa Nova” e ‘14 Bis” que costumávamos tocar em nossa banda. Na época usava um gravador de fitas cassete. Velhos tempos…

3- Conheça a escala de Dó maior

escala-de-do-maior

Comece a aprender um pouco de teoria musical iniciando pela escala de Dó maior. Identifique a escala em seu instrumento (no piano ou teclado é bem mais fácil) e toque-a em sua forma diatônica, ou seja, de dó a dó num total de oito notas: “dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó” (só as notinhas brancas do teclado). Depois toque-a em sua forma cromática de meio em meio tom, num total de 13 notas (teclas brancas e pretas). Repita cantando a escala juntamente com o som do instrumento de forma crescente (do grave para o agudo) e depois decrescente (do agudo para o grave).

4-  Identifique os intervalos musicais

intervalos-maiores

Intervalo musical é a distância entre duas notas. Toda melodia é formada por vários intervalos musicais. Por isso estudar esses intervalos é de suma importância para melhorar a afinação. Sugiro que você toque num instrumento harmônico vários intervalos diferentes usando sempre duas notas distintas. Num primeiro momento apenas ouça e depois “imite” esses sons. Exemplo: “dó – ré” (2ª maior), “sol – si” (3ª maior), …

5- Descubra os intervalos das canções

Procure descobrir os intervalos iniciais de suas músicas preferidas. Por exemplo: no caso da música “O Bêbado e o Equilibrista” de João Bosco, o intervalo inicial é de quatro notas, uma 4ª justa ascendente, formada por dois tons e um semitom. Assim neste caso se a primeira nota for “dó”, para formar o intervalo a próxima deverá ser “fá”. Desta forma:  “Ca (dó) – í (fá) – a (fá) a tarde feito um viaduto…”

OBS: Indico entrar na página “JazzBossa” onde o autor cita várias canções e associa alguns intervalos que podem ser identificados nas melodias. É uma excelente forma de gravá-los.

Darei alguns exemplos aqui de intervalos, mas para ver as indicações de músicas que ajudam a identificar todos os intervalos entre na página citada no parágrafo acima:

Intervalo de primeira ou “prima”:

Eis a- qui este sambinha, feito numa nota só … (Samba de Uma Nota Só, Tom Jobim) –

Intervalo de Segunda Maior.: 

Bra- sil, meu Brasil brasileiro… (Aquarela do Brasil, Ary Barroso)

Intervalo de Terça Menor:

Vo- cê precisa saber da piscina… (Baby, Caetano Veloso)

Intervalo de Quarta Justa:

Ou- vi- ram do Ipiranga às margens plácidas… (Hino Nacional Brasileiro, Francisco Manoel da Silva e Joaquim Osório Duque Estrada

Intervalo de Sexta Maior:

Ma- ri- na morena Marina você se pintou… (Marina, Dorival Caymmi)

6- Toque no teclado as partes da música que tem maior dificuldade

Procure identificar no teclado as melodias que são mais difíceis de reproduzir com a voz ou afinar quando canta a canção e as repita várias vezes usando simultaneamente o teclado e a voz.

7- Cante escalas cromáticas:

escala-cromatica

Fazer exercícios em semitons (de meio em meio tom) são muito recomendados para educar o ouvido. Toque todas as notinhas do teclado (brancas e pretas) e repita junto com o piano.

8- Cante em Bocca Chiusa:

m-2

Repita todas as notas do exercício das escalas cromáticas em Bocca Chiusa ou Humming (som do “M” grande com lábios serrados e dentes entre abertos) e somente depois com vogais. O Bocca Chiusa é um excelente exercício para ajudar na percepção da afinação na emissão.

9- Faça o movimento do som

arrows-35257_1280

Cantar os exercícios vocais fazendo movimentos com as mãos quando sobem ou descem as notas, também pode ajudar na compreensão dos intervalos e melhorar a afinação.

10- Sempre se grave cantando

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Tenha o hábito de se gravar cantando e depois confira pequenos trechos da melodia no piano. Nada como você mesmo começar a identificar as pequenas imperfeições de emissão.

Sem dúvidas os efeitos deste tipo de trabalho não são percebidos de um dia para o outro. Somente com persistência e a continuidade do estudo conseguimos alcançar bons resultados!

A famosa frase atribuída ao professor e músico do Zimbro Trio, Luiz Chaves: “Afinação é uma questão de gosto”, talvez seja uma boa evasiva para quem acha que apenas quem tem dom pode cantar bem. Prefiro pensar que com esforço e dedicação todos nós podemos conquistar nossos sonhos!

Veja também:

http://vozteoriaepratica.com.br/afinacao-e-desafinacao-vocal-2/

Comentários

Comentários