percepção musical

“Cantar… devaneio ou realidade”

“Cantar… devaneio ou realidade”

3 minutos O sonho de cantar acompanha muita gente que normalmente trilha profissões muito diferentes da música. É a constatação da velha frase: “De cantor e louco todo mundo tem um pouco…”  Comecei a cantar muito jovem. Aos 11 anos de idade já cantava profissionalmente e curiosamente este nunca foi o meu sonho. (conheça um pouco mais sobre a minha história lendo o post: “Quem sou”). Naquela época era tudo muito intuitivo, eu nem sonhava com a possibilidade de buscar algum aprimoramento através de Continue lendo

Dez dicas para desenvolver a percepção musical

Dez dicas para desenvolver a percepção musical

5 minutos O grande aliado da boa afinação é o desenvolvimento da percepção musical que nada mais é do que a prática para a identificação da altura tonal, a relação entre intervalos numa melodia, a divisão rítmica, a intensidade do som, entre outros aspectos musicais. Quanto mais treinado o ouvido estiver para reconhecer tais particularidades da canção maior será a habilidade de um instrumentista ou de um cantor. Por isso considero essencial para quem deseja desenvolver o canto utilizar um instrumento harmônico no momento Continue lendo

Afinação vocal: preciosismo ou necessidade?

Afinação vocal: preciosismo ou necessidade?

8 minutos   Gostaria de retomar um assunto que já discuti aqui no blog: “O quanto a afinação vocal impecável é algo realmente imprescindível ao cantor”. Esse assunto gera tanto incomodo entre os cantores que ninguém suporta a possibilidade de “dar algumas notas na trave” de vez em quando. E se alguém que não canta ousar em dizer que a pessoa desafina, será um tremendo insulto: “Como uma pessoa que não canta pode dizer que desafinei?” Muitas vezes vemos nossos ídolos cantando notas não Continue lendo

“Ouvido Absoluto” e “Ouvido Relativo”

“Ouvido Absoluto” e “Ouvido Relativo”

2 minutos O ouvido absoluto não é um dom necessariamente relacionado com a música em si – as pessoas dotadas desse talento podem simplesmente “nomear” frequências sonoras, associando-as a notas musicais.   A habilidade está muito mais relacionada à memória musical do que ao conhecimento teórico de música e não é raro que pessoas sem qualquer vivência no segmento possuam talento similar. Segundo consta na história da música, grandes gênios como Beethoven e Mozart, possuíam esse “ouvido interno” que lhes permitiram compor peças e Continue lendo