técnica vocal

O sonho de ser um “The Voice”

O sonho de ser um “The Voice”

5 minutos Por conviver diariamente com o sonho da grande maioria dos cantores em ser um dos “The Voices”, resolvi “dar uma volta” no mundo online cassando os melhores momentos de cantores de todos os tipos de vozes e estilos diferentes e sentir na própria pele o que eles trazem de mais especial. Tentei observar todos os detalhes: se é um timbre específico, uma afinação impecável, a desenvoltura de palco ou o domínio sobre o instrumento vocal que fazem a diferença em alguns destes Continue lendo

A Construção de uma voz: Ressonância Vocal

A Construção de uma voz: Ressonância Vocal

6 minutos Ressonância da voz: nosso filtro sonoro Ressonância vocal é um dos assuntos que mais me fascinam no estudo da fisiologia vocal, pois através dele podemos ampliar e sobretudo, modificar o som que produzimos. Penso que descobrir várias possibilidades de uso desses espaços podem dar a voz mais plasticidade e ao cantor mais recursos para a interpretação de uma canção. Sempre gostei muito de falar sobre este assunto em aula, sobretudo com o intuito de dar mais consciência ao aluno sobre como ele Continue lendo

Registros vocais: Voz de peito? Voz de cabeça?

Registros vocais: Voz de peito? Voz de cabeça?

10 minutos Seria cômico se não fosse triste pensar o quanto se compartilham informações equivocadas nos nossos dias com toda a facilidade que a internet oferece. Toda vez que vejo alguém explicando a respeito de registros vocais e relacionando-os diretamente a regiões de ressonância, como a famosa frase: “Na voz de peito o som ressoa mais na cavidade torácica e na voz de cabeça o som ressoa na cabeça…”. No primeiro caso fico imaginando que em seguida farão a venda de próteses mamárias para Continue lendo

Músculos intrínsecos da laringe: Processo fonatório

Músculos intrínsecos da laringe: Processo fonatório

4 minutos Nos anos 90, quando atuava como cantora da noite, eu tinha a fama de ser uma cantora de “voz de peito” (registro pesado). Apesar de não entender bem na época o que isso realmente significava orgulhava-me disto. Afinal ouvia dizerem a mesma coisa da minha grande musa: Elis Regina. Quando iniciei meus estudos em fisiologia da voz, conheci o músculo “Tireoaritenóideo” ou “TA”, que tem dois feixes: TA externo e TA interno com a função de fechar e encurtar as pregas vocais Continue lendo

Por que estudar fisiologia da voz?

Por que estudar fisiologia da voz?

2 minutos O meu interesse por fisiologia da voz começou no início dos anos 2000 quando recebi o convite para dar aulas de canto popular no Conservatório de MPB de Curitiba. Até então era uma cantora com uma técnica intuitiva. Já considerava ter algum domínio sobre a voz pelo meu tempo de prática, afinal já atuava profissionalmente por quase vinte anos. No entanto ainda tinha pouquíssima experiência com técnica vocal. Por esse motivo era muito difícil para mim ter que ensinar o que eu Continue lendo

Drives vocais: Efeitos sonoros

Drives vocais: Efeitos sonoros

3 minutos A técnica dos drives vocais sempre foi um assunto muito controverso no meio pedagógico vocal. Pois desde sempre muito se associou o uso dos drives aos abusos da voz e a constrições nocivas a saúde do cantor. Eu mesma muitas vezes declinei a atender alunos interessados em se aprofundar nesse assunto e conheci muitos outros excelentes professores de canto, que também se negavam a trabalhar esta técnica, pelo mesmo motivo que o meu: não tinham domínio sobre ela e especialmente por considerarem Continue lendo

Técnica Vocal x Voz Infantil

Técnica Vocal x Voz Infantil

menos de 1 minuto Acredito que o trabalho técnico vocal com a voz infantil deve ser especializado e cuidadoso. Afinal estamos lidando com uma laringe ainda em processo de desenvolvimento e futuro amadurecimento. Por considerar que a prática de vocalizes tem como função o condicionamento da musculatura intrínseca e extrínseca da laringe, penso que o mesmo deva ser realizado com algumas ressalvas para esta clientela. Da mesma forma que não se recomenda para qualquer outra musculatura corporal da criança, a laringe infantil não deve ser exposta Continue lendo

Você sabe o que é “Overtone Singing” ou “Canto Difônico”?

Você sabe o que é “Overtone Singing” ou “Canto Difônico”?

2 minutos “Overtone Singing” ou “Canto Difônico” é um tipo de técnica que possibilita o cantor emitir uma ou mais notas simultaneamente, a partir da produção de uma frequência fundamental e a amplificação de um ou mais de seus harmônicos. Os harmônicos são frequências múltiplas de uma nota fundamental produzida. Obs.: Para efeito didático vale citar o sistema de notação alfabética em que o nome de cada nota musical corresponde a uma letra de A a G, a partir da nota Lá até a Continue lendo

Voz e emoção: Sob o olhar de grandes mestres

Voz e emoção: Sob o olhar de grandes mestres

5 minutos Acrescento aqui as contribuições exclusivas para este post, de alguns dos mais reconhecidos professores e/ou cantores de canto popular do Brasil. Queridos amigos que compartilharam aqui suas experiências ou visões de como lidar com esta que pode ser a nossa grande aliada no palco, nossa emoção! “Eu tenho trabalhado muito nesta questão do “nervosismo” que interfere na voz. O que observamos inicialmente é uma voz irregular, trêmula às vezes, pouca projeção, falta de ar, falta de apoio, inexpressividade… etc., até que vai Continue lendo

Mecanismo do manejo respiratório: Escolas nacionais de canto

Mecanismo do manejo respiratório: Escolas nacionais de canto

2 minutos Boa parte do que se encontra a respeito das Escolas Nacionais de Canto, faz citação do estudo realizado por Richard Miller em sua publicação English, French, German and Italian: Techniques Of Singing. Fiz abaixo uma pequena resenha do que encontrei sobre três das principais escolas estudadas por ele: Escola Italiana, Escola Alemã e Escola Francesa. ESCOLA ITALIANA A Escola Italiana possui grande uniformidade em relação ao manejo da respiração. O “Appogio” (apoio) pode ser definido como uma combinação de respiração esterno-intercostal diafragmática-epigástrica. A Continue lendo

Respiração Costo Diafragmática Abdominal

Respiração Costo Diafragmática Abdominal

2 minutos Em minha prática como cantora e professora tenho como base respiratória os princípios da Escola Italiana, que basicamente preconiza abertura de costelas, a anteriorização do Externo, e o apoio.   Este tipo respiratório é considerada por muitos estudiosos da área como o mais fisiológico e eficiente para as diversas demandas do canto. O que observo em alguns alunos é a dificuldade num primeiro momento, em realizar a abertura das costelas e devida “anteriorização” do esterno, sem a elevação concomitante do tronco, o Continue lendo